Sampling de produtos: o que é, como funciona e mais!

Se você quiser comprar um carro, as concessionárias oferecem um test drive. Se quiser adquirir um software, o desenvolvedor dá um período de testes gratuito. Caso esteja pensando em uma roupa nova, a loja deixa que você experimente antes. E o que fazem as empresas que trabalham com produtos fast-moving (os bens de consumo rápido, como comidas e produtos de beleza)? Se estiverem antenadas nas maiores tendências do mercado, elas fazem sampling de produtos!

O consumidor contemporâneo não admite riscos: ele não vai investir em nada de que possa se arrepender depois. As indústrias de bens de custo mais alto, como a automobilística, já perceberam isso há muito tempo e permitem que seus clientes atestem a qualidade do produto antes de tomar a decisão final.

O perfil cada vez mais bem informado dos consumidores — que prezam por modelos sustentáveis de negócio e empresas que realmente valorizem as pessoas — exige que todos os mercados encontrem alternativas para diminuir os riscos de qualquer compra e aprimorar o relacionamento com os clientes. Inclusive o mercado de bens de consumo de alta rotatividade.

Neste artigo, você vai entender exatamente o que é e como funciona o sampling de produtos, além de receber dicas para aplicá-lo com sucesso em seu negócio!

O que é sampling de produtos

Em bom português, sampling significa distribuir amostra grátis.

Muitas pessoas associam as amostras grátis ao lançamento de algum produto (“grátis” e “novo” são palavras muito poderosas no marketing). Mas é possível distribuir amostras gratuitas até de itens que já estão bem estabelecidos no mercado.

O mais importante, qualquer que seja o produto distribuído, é que as amostras estabelecem duas relações muito relevantes com seus potenciais clientes: eles prestam mais atenção à sua marca (e ajudam na ativação dela) e associam-na a generosidade e confiança.

O sampling pode ser feito de várias maneiras. É possível:

  • montar estandes de distribuição no local de venda do produto;
  • distribuir amostras em eventos relacionados ao seu mercado ou outros eventos de grande público;
  • enviar amostras por correio;
  • levar amostras a lugares que não vendem o seu produto, mas que são frequentados pelo seu público-alvo.

Algumas dessas alternativas são bem mais eficazes do que outras, principalmente caso o seu objetivo seja escalar os negócios. No próximo tópico, entenda o que funciona melhor!

Como o sampling funciona (e o que dá mais certo)

Talvez o sampling seja a estratégia de marketing mais antiga do mundo.

Basta pensar em uma feira de frutas. Se o feirante for esperto, vai partir um pedaço de fruta caso perceba um cliente avaliando os produtos. Se ela estiver boa, é bem provável que a pessoa vá comprar algumas.

O universo do marketing está em constante e rápida evolução, mas o bom e velho “experimente antes de levar” nunca saiu de moda. Estar nas redes sociais e investir em Marketing Digital é muito importante, claro, mas nada substitui a experiência real de ter contato direto com o produto.

Você pode fazer isso de várias maneiras. Mas, considerando-se que deseja que a produção da sua empresa escale (e o seu lucro também), existem práticas particularmente eficientes.

Uma boa ideia é distribuir amostras em lugares frequentados pelo seu público-alvo, mas que não necessariamente são pontos de venda dele.

Pode parecer contraditório à primeira vista, mas realizar ações de sampling em pontos que não tenham qualquer relação com o seu produto pode funcionar muito bem.

Pense em uma loja de roupas, por exemplo, em que os clientes ganhem um chocolate (o seu produto) quando pagarem pelas compras no caixa.

Pode ter certeza de que a primeira coisa que essa pessoa fará é sorrir e agradecer. O seu produto será recebido como um presente, um mimo tanto da loja de roupas quanto da sua marca.

Não há maneira mais positiva de se aproximar de um potencial consumidor (principalmente em um cenário em que a regra de ouro do mercado é vender mais do que produtos, mas experiências)!

Claro, também é possível distribuir amostras grátis no próprio local de venda — iogurte no supermercado, por exemplo. Essa estratégia dá muito certo para criar um ambiente de compras mais agradável, mas esbarra no problema de que não é escalável, pois o sampling fica restrito a um único cenário de consumo.

As vantagens de distribuir amostras grátis

O sampling permite metrificar sua estratégia

Muitos negócios apostam alto no investimento BTL (Below The Line), mas não estabelecem métricas precisas para calcular o sucesso de suas estratégias de marketing

Mensurar resultados é indispensável para entender o que está dando mais certo em suas ações e otimizar esses pontos com inteligência, ancorando-se em dados.

Caso você distribua 100 mil amostras de um produto, por exemplo, é possível pedir as informações básicas de determinado número de pessoas que receberem o sample. Posteriormente, você consegue entrar em contato com elas para ter uma amostragem da intenção de compra do seu produto impulsionada pelo sampling.

Também é viável fazer um levantamento de informações durante a própria distribuição das amostras grátis. O ponto de distribuição é um lugar valioso para você descobrir as principais impressões de seus potenciais clientes sobre o produto que está entregando.

Amostras grátis significam satisfação do cliente

O sampling fortalece muito sua relação com os clientes. Não se trata apenas de marketing de divulgação da sua empresa. Claro, com ele você apresenta ou reforça a sua marca, mas o melhor é como faz isso: agradando os consumidores na prática.

Como já foi lembrado, a primeira reação das pessoas ao receberem uma amostra grátis é abrir um sorriso.

Amor por amostra grátis

Os consumidores esperam um relacionamento cada vez mais humano e honesto com as empresas. No fundo, mesmo processos aparentemente mais distanciados, como as respostas aos comentários nas redes sociais do seu negócio, são relações entre pessoas. Isso fica ainda mais evidente no sampling — que envolve, na prática, uma pessoa presenteando a outra.

Os efeitos psicológicos dessa ação não podem ser desprezados. Quem recebe uma amostra sente-se grato, e gratidão costuma ser o melhor gatilho para uma ação positiva de retorno. Nesse caso, o cliente pode “agradecê-lo” adquirindo seu produto.

Pode parecer um raciocínio simplório, mas ele já foi analisado cientificamente por muitos pesquisadores — entre eles, o renomado psicólogo best-seller Dr. Robert Cialdini. Você pode conferir esses estudos com mais detalhes no post Amostras Grátis: entenda por que as pessoas amam.

Agora você já sabe como o sampling pode ser benéfico para o seu negócio! Quer receber mais dicas sobre como utilizar essa estratégia de maneira inteligente na sua empresa? Assine nossa newsletter e se transforme em especialista no assunto!

2018-08-20T16:05:19+00:00Por |2 Comentários

Sobre o Autor:

Marcus Thadeu, 32, meio publicitário, meio economista com MBA em Mercado Financeiro pela FIPE/USP. Tem mais de 10 anos de experiência em empresas de diversos setores (BNP Paribas, Unilever, Enox), sempre medindo o resultado das coisas. Lidera a agenda de Produto da Samplify. Pós verdade, pós consumo e pós capitalismo são temas de seu interesse. Compreender Chet Baker e teoria das cordas são objetivos de longo prazo.

2 Comments

  1. Datarooms.org outubro 13, 2017 em 10:47 am - Responder

    Muito bom artigo, muito obrigado pelo seu trabalho. Falando em economia, julgo que será interessante usar salas de dados virtuais para um gestão de documentos mais seguro e mais conveniente.

    • Tainah Escocard outubro 30, 2017 em 5:26 pm - Responder

      Olá, tudo bem?

      Que bom que gostou do nosso artigo, ficamos muito felizes 🙂

      Estamos com várias novidades e conteúdos, dá uma olhadinha!

      Bjs

Deixar Um Comentário