A relação do marketing com o descarte em indústrias de bens de consumo

O descarte na indústria de bens de consumo pode ser resultado de falhas no planejamento da sua empresa. Mas ele não precisa ser encarado com absoluta negatividade: pode ser o combustível para ótimas ações de marketing!

Neste artigo, você vai entender o que a inovação, tão importante para a indústria de bens de consumo rápido, tem a ver com o descarte, além de conhecer dicas de ações de marketing eficientes para contornar o problema do desperdício!

O que inovação tem a ver com descarte

Se você trabalha com marketing na indústria de bens de consumo, sabe como esse é um mercado em que ser criativo e inovar são pré-requisitos.

São tantos produtos disponíveis para o consumidor que quem inova nem sempre está saindo na frente, já que essa é praticamente uma obrigação! Mas quem deixa de inovar certamente fica para trás!

Lançar novos produtos, revitalizar linhas de produtos tradicionais ou apenas anunciar de maneira mais criativa sua produção de sempre são pontos em que você deve estar sempre atento.

Mas tudo isso demanda estratégia em cada etapa do processo. Quando ela falha, os esforços para inovar podem ir por água abaixo e sua inovação se transforma em desperdício e prejuízo.

O planejamento de demanda, por exemplo, é essencial para estabelecer parâmetros em todas as etapas da produção.

A falta de planejamento ou o desleixo com ele podem levar sua empresa a lançar um produto sem aderência ao público ou em uma escala muito maior do que a demanda se revela na prática. Isso pode gerar um estoque estagnado (#slowmovement) e, no pior dos casos, o descarte.

O comportamento do consumidor não pode ser sempre previsto em cada detalhe, mas uma pesquisa cuidadosa aprimora muito o seu entendimento sobre a demanda pelo produto que vai lançar. Por isso o teste de produto é tão relevante na indústria de bens de consumo!

Inovar, como você percebe, é uma moeda com dois lados: é essencial para a sobrevivência e para o desenvolvimento da indústria, mas um desastre para a imagem da sua empresa e para a sustentabilidade, se for feito sem cautela.

Descarte na indústria como tabu

Que empresa não se declara ambiental e socialmente responsável? Negócios de todos os segmentos proclamam-se verdes e engajados, em alguma medida.

Ser sustentável e responsável está em voga (e nunca foi tão necessário!), mas há um ponto que permanece menos discutido sobre esses assuntos: o descarte.

Mesmo internamente, nas indústrias, esse é um tópico pouco abordado. E a questão também não é aprofundada com o consumidor.

É compreensível que o tema seja pouco debatido, pois envolve, na prática, a constrangedora destruição de vários produtos — até de comida, eventualmente.

Em um tempo em que se discute tanto a responsabilidade social das empresas, o descarte precisa ser considerado já no planejamento de demanda.

Se esse planejamento for feito com precisão, é provável que sequer haja desperdício, mas ter um plano de ação para remediar a necessidade de descarte é muito importante.

Descartar não precisa ser encarado como um tabu! Obviamente, é desvantajoso, mas é algo que pode ser utilizado até em suas ações de marketing. Descubra como no próximo tópico!

Alternativas ao descarte

Descartar não precisa ser considerado uma parte natural dos processos da indústria de bens de consumo!

Existem alternativas ao descarte que são vantajosas financeiramente e para o marketing da empresa e evitam o desperdício:

Powered by Rock Convert

Descontos

Promover descontos de produtos que estão em vias de ser descartados é uma forma clássica de dar vazão ao estoque.

Essa estratégia é comum especialmente para aumentar a saída de produtos cuja data de validade está próxima. Dá tão certo que já existem lojas que se especializam nesse tipo de comércio.

Nesse caso, você pode aproveitar essa tática se tiver seu próprio ponto de venda ou também se for o fornecedor.

Uma negociação com o varejista para promover descontos estratégicos de produtos prestes a precisar ser descartados tem vantagens para os dois: você evita o desperdício e os gastos com o descarte, e ele consegue mais volume de vendas!

A prática é aprovada pelo Procon, que apenas orienta que os produtos sejam comercializados com indicação clara de que estão prestes a vencer.

Ações de experimentação

Já pensou em aproveitar a iminência do descarte para promover sua marca?

À primeira vista, talvez pareça contraditório, mas é possível! Você pode alavancar ações de experimentação com produtos que seriam descartados.

Com atenção à validade, é claro (o ideal é que sejam produtos que vão expirar em no mínimo 60 dias), você consegue utilizar os itens que permaneceriam paralisados no estoque para distribuir amostras grátis.

A mera menção a “grátis” já é um instrumento de marketing poderoso! O consumidor não quer somente adquirir um produto, mas ter uma experiência positiva de consumo e estabelecer um bom relacionamento com as marcas.

Que forma melhor de fazer isso do que dando um presente a ele?

Já explicamos em detalhes como funciona uma estratégia de sampling de produtos bem-sucedida. O melhor é que você insira seu produto no cotidiano dos seus potenciais clientes da maneira mais natural possível.

Uma boa forma de fazer isso é criar um Ponto de Experimentação fora do Ponto de Venda. Ou seja, distribuir as amostras em lugares em que o produto não é vendido usualmente, mas que estão marcados no dia a dia do seu consumidor.

Uma boa ideia é dar refrigerante em lojas de roupa, por exemplo! Todos ganham: o consumidor é presenteado e a sua marca e o ponto de distribuição são valorizados pelo gesto!

E a doação?

A doação de bens em vias de descarte toca em um ponto delicado da legislação brasileira. A doação de alimentos, principalmente, é alvo de uma série de cuidados.

Atualmente, é responsabilidade do doador — seja um industrial ou o dono de um restaurante, por exemplo — qualquer dano que alguém sofra depois de consumir um alimento doado.

Ou seja, se alguém passar mal após ingerir a comida que você doou, você pode responder judicialmente por isso! Além disso, a fiscalização sobre a data de validade é bem rígida e rende multas.

Dentro dos parâmetros legais, a doação é sempre uma ótima alternativa ao descarte, desde que você permaneça bem atento aos detalhes jurídicos que essa escolha envolve!

O descarte em indústrias de bens de consumo, em resumo, não é um problema sem solução! O marketing inteligente consegue transformar essa falha do planejamento em uma oportunidade de negócios e uma forma de otimizar ainda mais seu relacionamento com o consumidor!

Se quiser se antenar melhor sobre esse e outros temas do marketing de experimentação, assine nossa newsletter e receba mais conteúdos como este diretamente no seu e-mail!

2018-07-24T01:45:44+00:00Por |0 Comentários

Sobre o Autor:

Ernesto Villela, 40 anos, é pai da Caca, do JP, marido da Déia e empreendedor desde sempre. Formado em administração pela EAESP-FGV e nunca fez entrevista de emprego. Em 2004, fundou a Enox, empresa referência em projetos de ativação, mídia indoor e tecnologia para o varejo que teve entre seus clientes a Unilever, o Google, Heineken, Vigor e Natura. Em 2017, fundou a Samplify, uma start-up de tecnologia que abjetiva reinventar o modelo de sampling e experimentação de produtos CPG para o consumidor. Empreendedor Endeavor em 2010. Seu propósito profissional é construir uma operação multinacional que ajude grandes empresas a transformar seu modelo de marketing B2C.

Deixar Um Comentário