Design thinking aplicado ao varejo: o que é e como funciona?

O design thinking aplicado ao varejo é uma forma eficiente de manter esse tipo de negócio sempre competitivo. Soluções inteligentes devem ser pensadas frequentemente, visando sempre o desenvolvimento por meio da inovação. Em tempos de grande foco no digital, exercer essa busca por evolução e eficiência é indispensável para as grandes marcas.

Este post vai mostrar em detalhes o que é o design thinking e como esse conceito pode fazer a diferença para os varejistas. Saiba mais a seguir!

O que é design thinking?

Trata-se de uma estratégia que visa à solução de demandas e de problemas gerais. O grande diferencial é a maneira como essas situações são conduzidas. A proposta é usar a criatividade para analisar uma situação. Isto é, pensar de que forma ela pode ser conduzida com eficiência, a fim de gerar resultados satisfatórios.

O nome é inspirado no modo como os designers lidam com o planejamento de seus projetos. A situação é analisada, entendida e, então, se inicia um brainstorm para encontrar uma solução criativa. A demanda é colocada diante das ferramentas que a empresa tem e, dentro das possibilidades, são encontradas maneiras eficientes de atender o que o cliente deseja.

Para que serve o design thinking?

O design thinking serve para demandas amplas do cotidiano. Essa estratégia pode ser usada para otimizar um processo, solucionar problemas, desenvolver um produto ou criar métodos de trabalhos diversos. A sua aplicação é ampla, mas cada vez mais útil no mundo corporativo.

Seu foco é sempre a melhoria e o desenvolvimento. Ele pode ser aplicado internamente, de forma a desenvolver os métodos que as empresas usam em diversas tarefas. Ou, ainda, direcionado ao cliente, com a proposta de entregar um serviço melhor, mais rápido e mais adequado ao que é esperado.

Como funciona o design thinking aplicado ao varejo?

Nesse caso, o foco é propor inovações para que as empresas se mantenham relevantes no mercado. Com métodos criativos e modernos é possível competir, por exemplo, com os recursos digitais.

Esse exercício permite às marcas se manterem em constante desenvolvimento, com a proposta final de entregar soluções cada vez mais relevantes aos clientes. Essa oferta de qualidade se dá tanto em produtos como em serviços de todos os tipos.

Para isso, é preciso haver uma autoavaliação constante dentro da companhia. O questionamento frequente acerca dos métodos praticados proporciona o trabalho com ideais de otimização das atividades. Como resultado, as práticas direcionadas aos clientes serão sempre as melhores possíveis, aliando criatividade e eficácia.

Quais as principais etapas do design thinking?

O design thinking aplicado ao varejo é composto por etapas. Elas compõem o estudo adequado, desde o mapeamento dos métodos atuais da empresa até o contato com o cliente. O intuito é entender o que ele precisa para entregar algo relevante.

A seguir, conheça melhor cada passo para desenvolver práticas eficientes no seu negócio!

Mapeamento dos métodos atuais

Entenda primeiramente como os processos são conduzidos na empresa. Esse trabalho de diagnóstico ajudará a entender motivos pelos quais o desempenho não tem sido o adequado, por exemplo. Essa observação possibilita apontar erros, métodos fracos e outros fatores que impedem o alcance dos melhores resultados da empresa.

Organização das interações

Como sua empresa atrai os clientes? Como você conduz a relação quando já está em contato com eles? Desenvolva um organograma atual de como é feito esse trabalho de captação, condução e alimentação. Aponte o que pode ser melhorado para executar o design thinking e obter métodos mais eficientes dessas interações.

Brainstorm com visões diversificadas

Traga pessoas e especialistas com uma visão externa para avaliar o seu negócio. Profissionais da empresa, mas de áreas distintas, podem ser muito valiosos na hora de fazer essa análise. Eles terão uma percepção diferenciada e que pode, muitas vezes, se aproximar do que o cliente também pensa.

Testes

Antes de implementar de vez, teste as ideias obtidas com o design thinking aplicado ao varejo. Use o método A/B, que consiste em avaliar e comparar resultados de diferentes formas de conduzir os negócios. Você terá material rico para análise, o que permite uma decisão mais transparente e confiável.

Contato com o cliente em busca de insights

Se você trabalha para o cliente, ele precisa dizer para a sua empresa o que ele espera. O varejo permite esse contato mais próximo e frequente, então é fundamental aproveitar essa oportunidade. Ouça o que ele tem a dizer, perceba comportamentos e tendências, e busque insights precisos nesse relacionamento diário.

O mapa de empatia é uma ferramenta que pode ajudar muito!

Quais os benefícios do design thinking para a empresa?

O design thinking aplicado ao varejo proporciona avanços e benefícios diversos às empresas do segmento. É possível colher resultados amplos, contando com o desenvolvimento da marca a longo prazo. Entenda melhor o que pode ser obtido!

Relevância e competitividade no mercado

Uma empresa com melhores métodos é capaz de oferecer ao consumidor o que ele precisa não só na venda, mas em toda a relação comercial. O cliente atual busca uma experiência completa, que vá além do serviço e do produto final. Se sua empresa consegue atingir isso, naturalmente ela é mais relevante e mostra maior competitividade no segmento.

Desenvolvimento e aumento das vendas

O resultado de uma empresa com espaço são mais vendas. Essas conversões tendem a aumentar se o negócio entende melhor o consumidor, se mantém atualizada e propõe inovações. O cliente sempre vai procurar as melhores condições, o que gera mais receita para as marcas.

Quais os benefícios do design thinking para os clientes?

Nesse desenvolvimento, os clientes também são beneficiados quando há o design thinking aplicado ao varejo. O trabalho frequente de busca por melhores soluções e experiências é direcionado totalmente ao consumidor. Logo, no final das contas ele atinge um nível de satisfação alto. Em contrapartida, as empresas se mantêm em destaque.

Entre esses benefícios aos clientes das marcas, podemos destacar:

  • impacto positivo em diversos momentos da relação comercial;
  • soluções mais adequadas às suas necessidades;
  • produtos com maior valor agregado;
  • experiência completa durante uma visita a um varejo;
  • mercado mais amplo e com boas opções.

O design thinking aplicado ao varejo é uma ótima estratégia para as empresas se manterem atuais e prontas para levar ao mercado o que o consumidor deseja. Aplique-o em sua marca e comece a colher resultados de destaque!

Gostou deste post? Assine nossa newsletter e receba mais conteúdos como este diretamente no seu e-mail!

2018-11-06T20:16:38+00:00Por |0 Comentários

Sobre o Autor:

Marcus Thadeu, 32, meio publicitário, meio economista com MBA em Mercado Financeiro pela FIPE/USP. Tem mais de 10 anos de experiência em empresas de diversos setores (BNP Paribas, Unilever, Enox), sempre medindo o resultado das coisas. Lidera a agenda de Produto da Samplify. Pós verdade, pós consumo e pós capitalismo são temas de seu interesse. Compreender Chet Baker e teoria das cordas são objetivos de longo prazo.

Deixar Um Comentário